segunda-feira, 13 de outubro de 2014

mares

Ela me chamou de Mar,
inocente que era em sua jornada.

Eu, de mares navegados, de terras descobertas,
sei que o mar em mim não é imensidão;
somente um lago desses bem rasos,
onde naufragaram os prazeres
do nosso mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário