quinta-feira, 10 de julho de 2014

Além a ponte de vidro

A água escorre breve pelos dedos. Eles ficam molhados e eu, imerso em mim. Hoje, a ponte feita de vidro cristalino é meu telhado frágil e eu me reencontro sob ela, tocando o que ela foi feita para desviar.

Quando a ponte quebrar, o que poderia diferenciar meu chão de meu céu? Como não irei me machucar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário