quinta-feira, 1 de maio de 2014

Pequenos

Ela não perdeu o fôlego e nem fechou os olhos de medo. Ela desfaleceu de olhos abertos e peito cheio de esperanças. Ela não sentiu o chão contrair e abraçar sua coluna. Ela não sentiu o suor frio e o medo carregarem seu corpo para um hospital. Ela sentiu algumas mãos competentes e frias no seu corpo, mas logo não sentiu mais nada. Quando finalmente acordou, não quis ouvir dizerem que seus sonhos de dançarina estariam presos para sempre em sua coluna machucada.


Ela se questionava e pensava de que pequenos sonhos construiria suas primaveras?

Nenhum comentário:

Postar um comentário