quarta-feira, 26 de março de 2014

Sementes

Tenho um sentimento sempre em semente. O guardo em uma estufa e, toda vez  que nasce, já nasce quente. Nasce e tenta irromper do coração. Coração é estufa, sentimento é flor que nasce desabrochada em mim. E o calor que faz crescer, é o calor que pode sufocar e fazer adoecer.

Ainda bem que esse meu calor transborda pelos olhos, pelas mãos, pelo meu corpo. Transborda em carinho. Transborda e não é dilúvio. É uma chuva serena sob a qual fechamos o guarda-chuva e os olhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário