terça-feira, 1 de outubro de 2013

Festa do Trabalhador - 1° de Maio

Dois pequenos textos escritos no celular durante a tradicional Macarronada do Trabalhador (Festa do 1º de Maio):



7h20; manhã de sol disfarçado

A velha cigana sobe a ladeira com seu vasilhame, rumo a distribuição de comida. Cabisbaixa, ela nota uma inofensiva rampa de estacionamento. Ela me vê, sorri e, como se o Sol fosse estar ali para sempre, desce da calçada e contorna o obstáculo para seguir seu caminho.



10h58; dia já quente

Dois senhores de camisa xadrez, botas e chapéu de palha, acompanhados de uma mulher igualmente produzida, mas sem o chapéu, se entreolham e gingam indecisos. Um deles, encolhido como se estivesse com frio, se dirige tremente para mim: "óia moço, ondé quié a fila do macarrão?" (e nada poderá descrever os dois tapinhas que ele deu na barriga nesse momento).

Nenhum comentário:

Postar um comentário