quinta-feira, 14 de abril de 2011

de mãos dadas

Ela, como em prece, sussurrava: eu amo, tu amas, ele ama, nós amamos, vós amais, eles amam. E as palavras subiam como incenso: eu amei. Tu amaste, ele amou, nós amamos, vós amastes, eles amaram. Então cerrei os olhos para apreciar a penitência que viria: eu amarei, tu amarás, ele amará, nós amaremos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário